11/02/21

Projeto de cooperação da FNP é destaque em evento da OCDE

 

Encontro internacional reuniu organizações municipalistas de vários países e foi marcado pelo compartilhamento de iniciativas bem-sucedidas

Experiências do projeto de cooperação entre governos locais do Brasil e de Moçambique, executado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Associação Nacional dos Municípios de Moçambique (ANAMM) e coordenação da organização Cidades e Governos Locais Unidos (CGLU), foram apresentados nesta quinta-feira, 11, no encontro virtual “Aprendizagem por meio de sistemas interconectados”. O evento é promovido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e reuniu representantes técnicos de entidades municipalistas de vários países.

Com reconhecido espaço no contexto internacional, a FNP reafirmou a importância do diálogo com governos e entidades locais. “O projeto foi criado em resposta ao interesse dos prefeitos brasileiros e moçambicanos na cooperação técnica entre suas cidades”, contextualizou o coordenador de Captação e Relações Internacionais da entidade, Paulo Oliveira.
Segundo ele, a iniciativa deixou um legado significativo. “Em Matola (Moçambique), por exemplo, o que se tinha eram ações tímidas de democracia. A partir da troca de experiências de gestão com Canoas/RS, entre outros eixos do projeto, a cidade é hoje um referencial de orçamento participativo”, citou Oliveira.

Ainda destacando como é assertivo promover a cooperação entre cidades, o representante da FNP relembrou a participação de 60 prefeitos no workshop “Escravidão moderna e mudanças climáticas: o compromisso das cidades”, a convite do Papa Francisco, no Vaticano (Itália), em julho de 2015. “Embora o projeto já tivesse acabado, o diálogo entre as cidades, por meio da articulação da FNP e da ANAMM permaneceu ativo, tanto que ajudamos a articular a participação dos governantes de lá nesse encontro tão emblemático”, declarou.

Para o Oficial de Relações Internacionais e Cooperação da ANAMM, Pedro Laice, a parceria das instituições foi fundamental para mudanças necessárias no modelo de governança e sustentabilidade. “Mesmo com a mudança das lideranças políticas, a ANAMM e a FNP ficaram como uma espécie de guardiãs do conhecimento”, completou.

Representantes da CGLU e da OECD, entre outras, também compartilharam cases de sucesso durante o debate.

O projeto de cooperação entre governos locais do Brasil e de Moçambique teve financiamento da União Europeia.

Redator: Bruna LimaEditor: Jalila Arabi
Última modificação em Quinta, 11 de Fevereiro de 2021, 14:36
Mais nesta categoria: