20/12/18

A experiência do município de Jaboatão dos Guararapes na fase piloto do Projeto Cidades Eficientes do CBCS

Foto: André Arcênio A experiência do município de Jaboatão dos Guararapes na fase piloto do Projeto Cidades Eficientes do CBCS

Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, foi um dos três municípios brasileiros selecionados para a etapa piloto do Projeto Cidades Eficientes, executado pelo CBCS - Conselho Brasileiro de Construção Sustentável, com apoio e financiamento do iCS - Instituto Clima e Sociedade. A iniciativa objetiva estimular a adoção de políticas públicas que viabilizem reduções efetivas de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) nos edifícios públicos. Primeira fase do Projeto, realizada no decorrer do ano de 2018, a assessoria técnica junto aos órgãos municipais aconteceu em edificações públicas pertencentes às três cidades piloto selecionadas, um grupo seleto do qual também participaramFlorianópolis, em Santa Catarina, e Sorocaba, em São Paulo.

O Projeto Cidades Eficientes do CBCS despertou o interesse de 130 municípios, localizados em 21 estados brasileiros, que se inscreveram para integrar a iniciativa por meio de uma chamada pública nacional anunciada no último mês de março. O atual coordenador da Secretaria de Desenvolvimento da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, Roberto Castelo Branco, conta que “a atual gestão municipal da nossa cidade tem procurado implementar ações que unem sustentabilidade, eficiência e inovação, o que nos levou a identificar sinergia com a proposta apresentada pelo chamamento público do CBCS”. Ainda segundo Castelo Branco esta sinergia motivou Jaboatão dos Guararapes a pleitear uma vaga e se inscrever no processo seletivo do Projeto.

O processo seletivo envolveu tanto a definição de uma faixa alvo para a participação de municípios com população entre 200.000 e 2.000.000 de habitantes, bem como de critérios fundamentais para a fase da assessoria técnica junto aos órgãos públicos das cidades piloto, entre os quais se destacam: experiência comprovada na gestão de iniciativas públicas anteriores relacionadas ao uso racional e eficiente de energia e água em edifícios públicos; existência de equipe capacitada, mobilizada e disponível para implementar atividades no decorrer do Projeto e interesse genuíno em programas que envolvem os eixos temáticos estruturadores da iniciativa - eficiência energética, uso racional de água, mobilidade urbana e geração distribuída de energia.

Para o coordenador do projeto em Jaboatão dos Guararapes, a iniciativa já possibilitou que o município descentralizasse as informações sobre consumo de água e energia, para que não fiquem apenas nas mãos de quem gerencia as contas a pagar. “Agora poderemos disponibilizar estas informações para os gestores de cada edifício e eles poderão trabalhar na otimização do uso e nós poderemos traçar metas a serem perseguidas com o objetivo de economizar”, expõe. Ele acredita que medidas simples implementadas agora poderão resultar em uma economia de até R$ 600 mil aos cofres do município no próximo ano. Esta verba poderá ser utilizada em outras áreas carentes de recursos financeiros.

Roberto Castelo Branco destaca alguns pontos de melhoria para o município propiciados pela participação no Projeto Cidades Eficientes do CBCS. O primeiro deles é a adoção de um sistema único para o controle do consumo de água e energia em todas as secretarias, o que irá possibilitar à administração analisar indicadores e pensar soluções. Outro destaque é a possibilidade de trabalhar em políticas diretivas que envolvam as equipes de projetistas que atuam nos projetos de novas edificações, pensando diretrizes de melhor eficiência energética tanto para projetos futuros como para possíveis retrofits e requalificações nas construções existentes.

Outro setor beneficiado do município de Jaboatão dos Guararapes será o de compras, que agora poderá contar com orientações para a aquisição de equipamentos mais eficientes e com melhor relação “custo x benefício” no longo prazo. “Vamos criar grupos de trabalho multidisciplinares que vão atuar nestes eixos de ação estratégicos e esperamos ter alguns resultados dentro de oito a doze meses”, aponta Roberto Castelo Branco. Ele explica que o objetivo é conscientizar cada vez mais pessoas sobre a importância do viés comportamental aliado à implementação da inovação tecnológica para atingir índices melhores em ações de sustentabilidade. “Durante a fase de capacitação do Projeto, vimos secretarias que vislumbraram que se elas conseguissem uma meta de economizar 10%, teriam o retorno de um recurso financeiro que faz falta”, esclarece.

“Esperamos poder replicar as experiências nas escolas e nos postos de saúde, locais de intensa movimentação e concentração de pessoas, por exemplo. Nossa intenção é que o munícipe ao frequentar estes prédios possa identificar as boas práticas e replicá-las na sua comunidade e assim, possamos tornar o município mais sustentável”, conclui Roberto Castelo Branco sobre as expectativas para o município de Jaboatão dos Guararapes.

Sobre o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável - CBCS
O CBCS é uma OSCIP criada em agosto de 2007 e se posiciona como ativo interlocutor e fórum independente para discussões subsidiadas pela ciência, contando com a participação do poder público, do poder privado, da academia e da sociedade civil. O CBCS, através de seus posicionamentos e projetos que executa, se propõe a criar e disseminar conhecimentos e boas práticas, mobilizando a cadeia produtiva para a sustentabilidade do setor da construção civil brasileira.

 

*Fonte: CBCS - Conselho Brasileiro de Construção Sustentável

Mais nesta categoria: